Jundiaí, Terça-Feira, 10 de Dezembro de 2019

UNI Terreiros debate a questão do uso de solo na Serra do Japi


Entre os assuntos abordados, a diretoria destacou como anda o processo sobre o uso de área pública que Jundiaí pode destinar.

Por Édi Gomes
Jornalista
E-mail: gomes.edi@gmail.com

A reunião ordinária da UNI Terreiros – União das Comunidades de Terreiros de Jundiaí e Região, aconteceu no dia 18 de março, na Comunidade Santa Catarina, no Jardim Ângela. No encontro, o presidente Gihad Abbas, mais uma vez pediu maior participação dos integrantes da diretoria e dos terreiros / templos que parte da associação.
 
Entre os assuntos, o presidente destacou, uma resenha do I Encontro da Serra do Japi, que aconteceu em 27 de janeiro. Foram debatidos os três pontos, que podem viabilizar a destinação de área para o uso, das comunidades de terreiros e templos, que fazem parte da UNI Terreiros.
 
“Foram criados grupos de trabalho para analisar a área que poderá ser usada. Uma outra turma, formada também pelos presentes ao evento, receberam a missão de possibilitar a conscientização entre os praticantes das religiões de Matriz Afro, membros do Poder Público e comunidade local”, acrescentou Gihad Abbas.
 
Dentro deste plano de ação há um outro quesito de suma importância: a normativa para utilização do espaço. As questões de acessibilidade para idosos, portadores de necessidades especiais e até mesmo as regras para utilização, por exemplo, de velas, o que, já sabemos que será proibido, por se tratar de área de preservação ambiental, e as religiões de Matriz Afro preservam o meio ambiente.
 
Segundo Gihad Abbas, a expectativa é do decreto de uso ser assinado até outubro deste ano, seguindo a Lei Eleitoral que dispõem certas travas em processos burocráticos. “No entanto, tudo ainda precisa ser muito bem avaliado. Não é só assinar por assinar. Temos que ter a segurança da permissão de uso, e também ver se a UNI Terreiros terá algum ônus”, comentou o presidente.
 
Intolerância
 
O ataque sofrido pelos irmãos do Templo de Culto à Ògun e Yemonjá – TCOY, dirigido pelo Pai Beto de Ògun, no dia 19 de janeiro deste ano, está sendo tratado juridicamente como Intolerância Religiosa. Segundo o presidente Gihad, que acompanha pessoalmente a tramitação, todos os cuidados estão sendo tomados, para que este tipo de ocorrência não ocorram mais em nossa região.
 
Festa de Ogum
 
A tradicional Festa de Ogum organizado pelo Templo de Umbanda Caboclo Flecha de Ouro, acontece no dia 13 de abril, a partir das 18 horas, no Centro Esportivo Francisco Dal Santo, que fica na rua Cica, 1.345, Vila Rami. Esta é a 21ª edição do evento e a entrada é apenas um litro de leite tipo longa vida, além de leite ninho ou alimentos não perecíveis.
 
Apareça
 
O presidente também lembrou que as redes sociais da UNI Terreiros estão à disposição dos membros. Tanto no portal www.uniterreiros.com.br ou na página do Facebook https://web.facebook.com/uniterreiros/. Caso queira divulgar eventos, casamentos, batizados ou outra atividade da rotina do terreiro, as páginas podem ser utilizadas para este fim. 
 
Próxima reunião
 
A Diretoria informou que a próxima reunião é no dia 9 de abril, com local ainda a ser definido.