Jundiaí, Terça-Feira, 10 de Dezembro de 2019

Decepção com o pedido de desculpa do vereador pastor


A expectativa era grande, por parte dos adeptos das religiões de raiz afro, na Câmara Municipal; desculpas do agressor foi decepcionante

Um ar de decepção pairou na noite desta terça-feira, 10, na Câmara Municipal de Jundiaí. No plenário, umbandistas e candomblecistas, e na tribuna o vereador pastor Roberto Conde (PRB), que em 14 de novembro do ano passado, durante homenagem organizada pelo vereador Paulo Sergio Martins (PPS), praticou ato de intolerância contra as religiões de matriz afro. O tão esperado pedido de desculpa pública, da ofensa praticada por ele deveria ter acontecido nesta reunião ordinária e no entanto, o que se viu um jogo de palavras em que praticamente o vereador era quem perdoava os praticantes da Umbanda e Candomblé, e sugerir culpa por ele ser uma pessoa preconceituosa.
 
A ação foi movida pela UNI Terreiros - União das Comunidades de Terreiros de Jundiaí e Região e protocolada no dia 12 de dezembro. Tal posicionamento já era esperado por parte dos umbandistas e candomblecistas. O vereador pastor, que apenas pagou uma multa de meio salário mínimo pela ofensa, não demonstrou arrependimento pelo ato praticado desde a condenação. E na sessão da Câmara desta terça, isto ficou nítido. Tal atitude é lamentável, ainda mais na posição que ocupa como representante da população de uma cidade do porte de Jundiaí.
 
Fim da Intolerância
 
O presidente da UNI Terreiros, Gihad Abbas, fez o uso da tribuna e reforçou a necessidade de acabar com a intolerância religiosa. “Devemos acabar com os atos, que de certa forma já nos prejudicaram um dia e hoje a gente batalha para que não aconteça mais”, disse Gihad ao público presente.
 
A reunião ordinária da UNI Terreiros acontece nesta quarta-feira, 11 de julho, a partir das 19h30, no Templo de Umbanda Cabocla Jurema e Baiana Maria do Coqueiro, na rua Maria Luiza Gaspari Müller, 125, Jardim das Tulipas, Jundiaí. Referência: segue a avenida principal do bairro, até a igreja católica. Entra ao lado dela e vira a terceira à direita. A casa é no final da rua.
 


Umbandistas e Candomblecistas com o vereador Paulo Sergio Martins na sessão da Câmara 

 

O presidente Gihad Abbas durante o seu pronunciamento na Câmara

 


O pedido de desculpas do vereador pastor foi decepcionante para os fiéis